Notícias

Coprocessamento chega ao Parlamento Europeu

Metodologia desenvolvida em Portugal foi apresentada em Bruxelas: reciclagem de pneus pode aumentar cerca de 8 por cento.

A CEMBEREAU – Associação Europeia do Cimento organizou no Parlamento Europeu um debate sobre o contributo do sector cimenteiro para as metas de reciclagem, no âmbito do pacote legislativo sobre a Economia Circular. Em cima da mesa esteve o coprocessamento, processo em que a indústria cimenteira é capaz de recuperar energia e reciclar materiais a partir de resíduos.

A iniciativa tinha como objectivo realçar o papel que podem representar os materiais reciclados no âmbito do coprocessamento e como podem ser incorporados nas metas de reciclagem europeias. Para ilustrar esta questão foi apresentada uma metodologia desenvolvida em Portugal pela 3Drivers, que especifica as quantidades de cada um dos materiais reciclados através do coprocessamento.

Para exemplificar esta metodologia foi usado o caso dos pneus usados. Embora a borracha dos pneus usados possa ser reciclado, o mercado para o subproduto é muito limitado, por isso, o remanescente é enviado para co processamento nos fornos das cimenteiras. Por um lado, os pneus usados apresentam um grande valor calorífico, e por outro, têm compostos de sílica e metais, que podem ser reciclados. O estudo desenvolvido em Portugal permitiu determinar que este processo permitira um contributo para as metas de reciclagem de pneus usados de cerca de 8 por cento.

Brian Gilmore, presidente dos produtores de cimento da Irlanda, reforçou que o coprocessamento contribui de uma forma real para a economia circular, garantindo o melhor uso dos recursos, sejam eles virgem ou "pré-usado". “É por esta razão que pretendemos que o coprocessamento seja considerado como uma oportunidade. Ao incorporar e aceitar a reciclagem dos materiais, tal como existe na indústria de cimento, todos podemos cooperar em conjunto para alcançar as metas europeias”, salientou o responsável.